Você não é o Juiz

A palavra criticar significa: “Tendência que temos de emitir uma opinião, uma observação, ao encontrar defeitos nos outros. É um juízo moral e até mesmo intelectual de censura, de reprovação, de julgamento”.
Na verdade, quando estamos em plena atividade criticando alguém, exercemos o papel de juiz e aplicamos a sentença favorável ou não, contra a situação que se apresenta ou contra as pessoas que são alvos de nossos julgamentos. Só que nos esquecemos, que na maioria das vezes, sem perceber, cometemos as mesmas infrações, os mesmos erros.
Jesus nos adverte sobre esta situação quando quando nos diz em Mateus 7:1-5 que não devemos julgar precipitadamente nenhuma pessoa.
“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque sereis julgados pelo critério com que julgais e sereis medidos pela medida com que medis. Por que vês o cisco no olho de teu irmão e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o cisco do teu olho, quando tens uma trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do olho; e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho de teu irmão”.
De vez em quando é bom fazer o seguinte teste: “Aponte o seu dedo para uma certa direção e verás três outros apontados pra você”.
Concluindo: Provérbios 24:23 diz: “Julgar fazendo discriminação de pessoas não é bom”.
Deus abençoe o seu dia…
Pr. Nélson Gouvêa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima