O cuidado diário com as finanças

No texto de II Reis 4:1-2 lemos o seguinte: Certo dia, a mulher de um dos discípulos dos profetas foi falar a Eliseu: “Teu servo, meu marido, morreu, e tu sabes que ele temia o Senhor. Mas agora veio um credor que está querendo levar meus dois filhos como escravos”. Eliseu perguntou-lhe: “Como posso ajudá-la? Diga-me, o que você tem em casa? ” E ela respondeu: “Tua serva não tem nada além de uma vasilha de azeite”.

Aqui temos uma importante lição na área das finanças. Confira em sua Bíblia toda história, porque ninguém sabe o dia da adversidade.

O marido morto que fora discípulo de Eliseu, com certeza foi um homem abençoado em muitas áreas durante a sua existência, porém em meu ponto de vista, foi negligente quanto ao seu planejamento financeiro. Não pensou no futuro de sua família. Ele tinha deixado dividas e a situação chegara a um ponto que os credores queriam os filhos como escravos como pagamento.

O ser humano precisa ser responsável. Não sabemos o dia de amanhã, o que nos reserva o mesmo. O que será que as pessoas vão comentar no dia de nosso velório? “Esta pessoa era bondosa, deixou a sua casa em ordem e a sua família em segurança”. Ou dirão: “Este infeliz deixou muitas dívidas para a sua família pagar?

Existe uma diferença entre desejos e necessidades. Saborear por exemplo um sorvete de chocolate em um dia quente é formidável, porém podemos substituí-lo por uma limonada bem gelada se a grana estiver curta. Curtir um sorvete não é uma necessidade e sim um desejo. Ao passo, que pagar em dia a conta de energia ou a prestação de nossa moradia não é um simples desejo, porém um compromisso que requer responsabilidade de nossa parte.

Deus abençoe as nossas decisões neste dia. Usemos a sabedoria e o bom senso que Deus nos dá, para administrar os nossos compromissos financeiros.

Pr. Nélson Gouvêa

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on print
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima