O Celular nosso de cada dia. Parte II

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Mateus 13:9

As relações humanas tão necessárias à formação de personalidade e caráter, estão se perdendo devido a um novo e estranho conceito na área da comunicação. Segue algumas dicas importantes para uma prática saudável do uso de nossos celulares de cada dia.

1. Cuidado para não se viciar.

Os especialistas alertam: o uso excessivo destes aparelhos eletrônicos podem viciar. Apesar deste distúrbio ainda não constar no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, estudos recentes apontam que o uso constante e desnecessário afeta diretamente o cérebro. O abuso na utilização da web os males são similares aos efeitos de drogas químicas, como o álcool e a cocaína. — A dependência pela tecnologia é comportamental, as outras são químicas, mas ela causa o mesmo desgaste na ponta do neurônio que as drogas — explica Cristiano Nabuco de Abreu, coordenadora do Grupo de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo.

2. Fobia! Se perder ou deixar de usar o celular por alguns minutos ou horas.

É comum observamos que a maioria das pessoas não consegue diferenciar a dependência do uso excessivo para o uso considerado normal. Sendo estes aparelhos ferramentas profissionais, grande parte das pessoas não sai de casa sem leva-los consigo. Outro dia observei uma faxineira varrendo um corredor e mesmo nesta hora, o celular estava na palma de sua mão grudado ao cabo da vassoura. A linha que separa o uso do abuso é tênue. Mesmo que se use muito o celular, isso não caracteriza o vício. No campo da dependência patológica, o uso excessivo pode estar ligado a um transtorno de ansiedade, como pânico ou mesmo fobia social causando angústia e uma sensação de desconforto.

Vamos ser mais moderados no uso desta ferramenta importantíssima chamado Celular.

Deus nos abençoe

Pr Nélson Gouvêa
Pastor, Escritor e Conferencista
www.ministeriocomfamilias.com.br

Deixe um comentário

Rolar para cima