Foi-se a Glória de Deus – III parte

Ela deu ao menino o nome de Icabode, e disse: “A glória se foi de Israel”. Porque a arca foi tomada e por causa da morte do sogro e do marido. E ainda acrescentou: “A glória se foi de Israel, pois a arca de Deus foi tomada”. I Samuel 4:19-22
2. O maior legado de um povo são suas famílias.
Quem era o sacerdote Eli? Um homem religioso que em sua época ministrava os cerimoniais e sacrifícios diante de Deus e do povo do qual era responsável. Naquela época a nação de Israel não tinha um rei, o status maior era a de um sacerdote. Somente os povos pagãos tinham o seu rei. Devemos lembrar que mesmo tendo estas responsabilidades, não deixava de ser um homem com suas falhas. Podemos destacar duas principais:
Eli era um homem sem discernimento, ou seja, não tinha habilidade para distinguir o certo do errado, agindo com sabedoria. Quando alguém diz ser filho de Deus ele precisa ter discernimento espiritual agindo com sabedoria divina.
A sua primeira falha foi quando notou no templo, numa parte reservada às mulheres, Ana. Ela estava orando ao Senhor pedindo a Deus um filho, pois era estéreo e Eli a repreendeu pensando estar embriagada. Na verdade esta atitude de Eli me faz pensar numa expressão usada certa vez pelo Pr. Jeremias Pereira quando disse em uma de suas mensagens explicando sobre Unção. Ele disse: “Unção significa que uns são e outros não.” Status, tempo de Igreja, títulos humanos, grau de escolaridade não torna uma pessoa mais ou menos cristã e cheia do Espirito Santo de Deus.
A segunda, Eli foi um homem que não soube administrar a sua própria casa. O sacerdote Eli tinha dois filhos aprendizes de sacerdote. Segundo a Bíblia eram abomináveis diante de Deus, pois não respeitavam os cerimoniais e praticavam atos de imoralidade. Eli sabia o que estava acontecendo, porém não os repreendia.
Aplicação: O ministério sacerdotal ou pastoral começa na verdade em nossa casa. A Bíblia é bem clara neste sentido quando diz que: “aquele que não cuida dos seus, tem negado a fé e é pior que um incrédulo” Em outras palavras, o pastor precisa ter ficha limpa para governar o seu lar. Minha esposa em uma de suas palestras para pais, menciona que os nossos filhos são nossos discípulos. (título de um de nossos livros publicado pela (www.editorabetania.com.br) Nesta terra cuidamos deles para Deus e precisamos ajudá-los na caminhada cristã.
Uma Igreja onde se reúnem várias famílias para uma celebração ao Senhor é importantíssimo que o exemplo de vida conjugal e familiar venha do altar, venha da liderança. É lamentável em nossos dias existirem tantos pastores e líderes, de ficha suja. São lobos vestidos de ovelhas. Não dão exemplo de vida santificada em seus lares, na Igreja onde lideram e muito menos na sociedade. O interessante é que praticam pecados e pensam que Deus não está vendo. Deus observava tudo o que acontecia na família de Eli. Deus está de olho em cada um de nós, não tenhamos dúvida sobre isto.
Para Refletir: Quando olhamos no espelho que imagem vemos refletida? Ficha limpa ou suja? Qual o conceito que o nosso cônjuge, nossos filhos, Igreja e sociedade têm de nós?
Que Deus estenda as suas misericórdias sobre nossas vidas.
Tenha um dia abençoado em Cristo.
Pr. Nélson Gouvêa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima