Briga conjugal

“Eu vou me separar de você” “Precisamos dar um tempo em nossa relação”. “Eu não te amo mais. “Eu quero o divórcio”.

Estas são popularmente as frases conhecidas que são utilizadas pelos casais em momentos de conflitos. A palavra divórcio ou separação estão sempre presentes nos diálogos. É importante ressaltar que quando existe a presença de ameaças, chantagens emocionais na relação conjugal, o compromisso do matrimônio fica sensível, corroendo a segurança do casal, proporcionando e promovendo a indiferença, o medo e a desconfiança. Além do que, a presença de ameaças de separação não produzem mudanças nas partes envolvidas, gerando apenas um sentimento de rejeição.

Tenho plena convicção que numa celebração de casamento o que menos é destacado e lembrado, são justamente os votos matrimoniais. São as declarações que gera comprometimento com a pessoa amada. É bom lembrar que o nosso cônjuge precisa sempre ouvir palavras de elogios e de compromisso.

Segue algumas dicas:
1. Retire de uma vez por todas do vocabulário de vocês, as palavras “divórcio”, “separação”, ou “dar um tempo na relação”. Ao menor sinal de conflito, quando uma dificuldade surgir seja uma diferença de ideias, desejos opostos ou mesmo um mal entendido, tenha uma atitude de uma pessoa madura, colocando as emoções sob controle do Espírito Santo.

2. Demostre ao amor de sua vida que permanecerá fiel a ela, até que a morte os separe.

3. Entenda de uma vez por todas que os desentendimentos são passageiros, são temporários. Pequenas palavras de incentivo no momento certo, na hora certa, resolverão as diferenças e fortalecerá o relacionamento.

Eu e Solange celebramos a nossa união no dia 17/02/1979. No convite de nosso casamento colocamos o seguinte versículo: “As muitas águas não podem apagar o amor, nem os rios afogá-lo”. Cânticos dos Cânticos 8:7a.

Deus abençoe o seu relacionamento conjugal.
Pr. Nélson Gouvêa

Deixe um comentário

Rolar para cima